Tudo que Deus criou ... foi pensando em você!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

A VERDADE QUE CARREGAMOS ...

.
.
.
.
Apesar de termos em comum a condição humana, em toda a sua grandeza e fragilidade, somos, cada um de nós, expressões únicas e especiais da existência.
.
.
Quanto mais nos mantivermos conscientes deste fato, mais imunes estaremos às comparações e tentativas de nos igualar aos outros, ou às pressões que buscam fazer-nos seguir caminhos diversos daqueles determinados por nossa essência interior.
.
.
.
Resistir a estas pressões nem sempre é fácil, especialmente na infância e adolescência, quando a consciência de quem de fato somos ainda não está formada, e, por isso mesmo, dependemos da aprovação externa para nos sentirmos alguém de valor.
.
.
.
Por essa razão, muitos chegam à idade adulta ainda carregando esta obsessiva necessidade de reconhecimento, seja ela consciente ou não. Encontrar a própria verdade e saber reconhecê-la exige coragem e um olhar atento para nosso próprio interior.
.
.
.
Somente "Ele" pode nos revelar qual é a nossa verdade, do que realmente precisamos para sermos felizes e o que pode ser descartado porque não passa de ilusão, algo em que durante muito tempo acreditamos, mas que nos foi imposto pelo mundo como sendo o melhor.
.
.
.
Porisso digo: "Respeitar a verdade de cada um é um aprendizado valioso, sem o qual jamais conseguiremos construir um mundo de paz, pois o amor e a harmonia só podem brotar onde estiverem presentes a compaixão e a solidariedade".
.
Um abraço fraternal.
.
.
Eduardo Januzelli

2 comentários:

Maristela disse...

Eduardo,

São felizes aqueles que escolhem
ser protagonistas de suas vidas.
Os que preferem ser espectadores,
deixam que a felicidade escorra
de suas mãos como a areia...


Se você busca o reconhecimento
e a aprovação dos demais,
está deixando a sua felicidade
nas mãos dos outros.


"Para viver plenamente, devemos
nos superar sem cessar
e ter a coragem de ser felizes."

Fique com Deus!!!

Beijo

com carinho,
Maristela

Maristela disse...

É impossível sermos felizes se esperamos estar sempre no máximo
da intensidade.
A felicidade não é uma questão
de intensidade, senão de equilíbrio e ordem, ritmo e harmonia.
THOMAS MERTON


"Se você quiser fazer as pessoas felizes, pratique compaixão.
Se quiser ser feliz,
pratique compaixão."

Com carinho,
Maristela