Tudo que Deus criou ... foi pensando em você!

domingo, 5 de abril de 2009

O que é amor inteligente ou amor ativo?


Parte do Texto de E. M. Luz.




Não faz muito, eu estava falando com uma mulher que tinha estado casada com um mesmo homem por quase quarenta anos. Era um marido diligente e fiel; no entanto, era um dos sujeitos mais persistententemente mal-humorados que já conheci, e eu me perguntava como sua mulher, que deveria ter aguentado o impacto de sua rabugice tantas vezes, o tinha suportado por tanto tempo.



Ela explicou: Quando a gente casa, não casa só por causa do lado bom. Uma pessoa é uma tonelada de coisas, algumas boas e outras não tão boas assim. Não podemos ter só o que é bom. Não dá para jogar fora o que é ruim, como a gente faz com uma maçã podre. Dei a mão à palmatória. Aquela mulher me ensinou uma lição válida. Lição, que percebo agora, constitui um princípio básico de todos os relacionamentos amorosos ativos: quem ama ativamente, aceita sem condições os defeitos, assim como as virtudes da pessoa amada. Nem ele, nem ela, adoram um ideal imaginário nem lamentam as expectativas goradas, porque a meta é o amor - não a perfeição. Da mesma forma que Cole Porter, o amante ativo pode dizer, com júbilo:"Com todos os teus defeitos, eu ainda te amo" . Ser capaz de amar incondicionalmente libera quem ama da servidão a coisas externas, de uma busca inevitavelmente sem esperanças por alguém que preencha os requisitos. A velha mulher que fez profissão de amor por seu esposo, estava livre de constrições. Seu amor ativo e criador era de uma qualidade tal que nenhuma falta poderia negar. Ela estava livre do fardo de exigir a perfeição!" ( trecho do livro O PODER DE AMAR de Ari Kiev)



É o Amor que não exige perfeição, que ama o outro pelo que ele é, procurando fixar-se somente no lado bom do relacionamento. Aquele que não procura Amor, mas sim, o CRIA! Assim fica mais fácil compreender o porquê sem esta energia nada acontece. É ela que nos contata com a energia universal, com o Grande Espírito, com Deus. E quando nos colocamos nas Suas mãos, tudo acontece.



Fazer a nossa parte é essencial e correto, porém, quando tentamos controlar algo ou alguém, não estamos deixando o Universo agir. Não confiamos na manifestação cósmica, que é puro amor. Parece utopia, mas não, é inteligência ativa, a maior qualidade do 3º Raio, e, no entanto, demoramos uma eternidade para entender. Confundimos com passividade, com submissão, e quebramos a cara. Aprender a amar o outro com seus vícios e virtudes, exige de nós muitas das qualidades dos outros seis Raios de manifestação: força de vontade, paciência, calma, tolerância, justiça, amor-sabedoria.



Por isso a energia Rosa é chamada de Amor Inteligente, Ativo, porque para manifestá-la temos que praticar todas as outras. Uma atividade perspicaz que nos liberta das amarras da perfeição. Não precisamos ser perfeitos e também não exigimos perfeição. Isso é amor top de linha! Eu deixo o outro ser como ele é, e também posso ser eu mesma. Liberto e sou libertada. Acabam-se os julgamentos e as críticas, deixamos espaço para ser inteiros e felizes. Não significa que temos que acatar aquilo que não nos agrada, apenas que damos maior importância àquilo que é bom e saudável. Ficamos imunes e percebemos com maior clareza que a perfeição que buscamos fora, é a nossa própria imperfeição, o que temos ainda que lapidar, que cuidar.



Nos tornamos leves e livres para atuar, para viver o que vale a pena, e até largar o que não vale, porque ficamos inteiros, mesmos com nossas pequenas imperfeições, pois, somos Divinos, também porque somos imperfeitos.
Espero que gostem do Texto que compartilhoi aqui com todos ...
Boa Semana iluminada por Deus a todos.
Eduardo Januzelli

Um comentário:

Paula disse...

Adorei e concordo com muito do que aí está escrito. Se me permites, vou plagiá-lo em meu blogger (com o devido reconhecimento autoral). Abc